Quiz e aprendizagem interativa com tablets

 
Uma das modalidades do projeto "Ler (com) ciência" é a realização de concursos de leitura, de modo a motivar os adolescentes e jovens e neles criar o gosto pelo saber.
Nesse sentido, o 9º4 e o 8º3 participaram em jogos didáticos, elaborados especificamente para estas turma, após a leitura da obra de Pepetela. A montanha da água lilás, cuja articulação curricular está a ser feita nas aulas de geografia, com os professores Domingos Santos e Maria Leonor Gonçalves. A participação foi muito entusiasta, veiculada pelos tablets que decorreram desta candidatura ao programa Leituras...com a biblioteca. A nossa diretora esteve presente numa das sessões e pôde testemunhar o entusiasmo dos jovens!

Leituras...com a biblioteca

 
O Projeto "Ler (com) ciência" integrou a candidatura Leituras... com a biblioteca 2018 e foi um dos premiados a nível nacional, pela sua originalidade e rigor, pelo que recebeu um certificado de qualidade da comissão que presidiu a respetiva cerimónia pública, com a presença do Senhor Secretário de Estado da Educação e Ciência, a Coordenadora Nacional da Rede de Bibliotecas Escolares, a Presidente do Conselho Nacional de Educação de Educação e a reconhecida cientista Elvira Fortunato.   
O projeto "Ler (com) ciência" está em aplicação em 6 turmas, implica 150 alunos, 5 professores titulares e outros aderentes, muita leitura científica e não ficcional, concursos, parcerias  com universidades e muitas aprendizagens em literacias várias. Vamos dando notícias ao longo do biénio 2018-2020.   

Parabéns, Leonor e Soraia!

As provas orais do Concurso Nacional de Leitura visavam apurar um aluno de cada ciclo para a fase municipal, a decorrer em fevereiro de 2019 em Almada.
A experiência foi inédita para os selecionados para esta prova, apesar de a calma com que se apresentaram o não denotar ao longo da manhã de ontem, em que trocamos opiniões e argumentos sobre um policial, duas fábulas e um drama infantojuvenil.    
Após deliberação do júri, saíram vencedoras da 1ª fase da 13ª edição do Concurso Nacional de Leitura as alunas Leonor Dias e Soraia Fernandes, respetivamente do 3º ciclo e do secundário. Parabéns às vencedoras e às professoras Deolinda Fernandes e Sandra Videira, que as estimularam a participar no CNL. 

Provas orais do CNL

O Concurso Nacional de Leitura é uma ação do PNL, cujo objetivo primordial consiste em "estimular o gosto e os hábitos de leitura e melhorar a compreensão leitora" do 1º ciclo ao ensino secundário.  O regulamento da presente edição introduziu alterações, nomeadamente, a composição do júri, obrigatoriamente com elementos externos à escola, sendo um deles representante das bibliotecas municipais.
Assim, ontem contamos com a presença da Drª Ana Roxo, da Faculdade de Ciências e Tecnologias da Universidade Nova de Lisboa, e da Drª Anália Freitas, da BM de Almada, que, conjuntamente com a professora bibliotecária, presidiram às provas orais dos alunos selecionados com melhor prestação na escrita: Mariana Fernandes, Soraia Ferreira, Daniel Gonçalves, Eloísa Alexandre, Margarida Fernandes (ensino secundário), Leonor Dias, Raquel Guerreiro e Carolina  Seleiro (3º ciclo). Pela sua distinção entre 178 participantes, estes 5 alunos estão de parabéns. 

Concurso Nacional de Leitura - 2018-19

Com o envolvimento de 11 turmas, 7 obras à escolha, dezenas e dezenas de empréstimos, centenas de fotocópias e toda a logística necessária para cruzar horários, disponibilidades e vontades, aconteceu na nossa escola mais uma edição do Concurso Nacional de Leitura, desta feita com preparação desde julho de 2018.
Esta antecipação e a adesão de professores fervorosos na leitura permitiu-nos proporcionar a leitura criativa, extracurricular, a 178 adolscentes e jovens. Eis algumas fotos que documentam a 13ª edição do CNL na Fernão. 
 

Maratonas de leitura na Biblioteca Escolar

Ao longo das últimas três semanas, centenas de alunos realizaram provas de leitura na BE.
Documentamos aqui a participação das turmas de 7º e 8º anos no Concurso Literacia 3Di. Os mais novos responderam a questões de interpretação textual em português e os do ano seguinte prestaram provas em inglês, de compreensão oral e escrita. 
A elaboração das provas esteve a cargo da Porto Editora, mentora deste projeto educativo, e a novidade deste ano foi a realização de provas com o auxílio de tablets da escola, adquiridos com financiamento da Rede de Bibliotecas Escolares.