Biblioteca Escolar

A vida antes de nós

Manuel Lima , ex-professor desta escola, estará entre nós no próximo dia  4 de Maio para apresentar às turmas do 11º ano a sua nova obra.
Sobre ele escreveu A. M. Galopim  de Carvalho (Professor aposentado da Faculdade de  Ciências de Lisboa):
 “Dada a importância a nível internacional do Miocénio da Bacia do Baixo Tejo, uma obra como esta já poderia e deveria ter sido feita…. Foi, pois, com subida satisfação que me disponibilizei, para, neste prefácio, dar o meu testemunho …sobre a excelente qualidade do livro….”

 Após a sessão, o autor estará disponível para autografar os seus livros.

Nunca é de mais elogiar o papel das bibliotecas

O blogue DE RERUM NATURA, sobre a Natureza das Coisas, publicou um texto do Físico Carlos Fiolhais, intitulado "O Futuro dos Livros e das Bibliotecas" e que apresenta uma reflexão sobre o papel destes elementos na era do digital.
 
http://dererummundi.blogspot.com/2010/04/o-futuro-dos-livros-e-das-bibli...
Jorge Luís Borges
 
 
    Eis um excerto:
 
     "A "Biblioteca de Babel" inteiramente digital é uma utopia ao nosso alcance, pois é viável tecnologicamente, assim haja vontade política para isso. Será um projecto mais para uma organização internacional como as Nações Unidas do que para uma empresa multinacional, como a Google, mas poder-se-á pensar numa parceria entre público e privados. A ideia da "Biblioteca de Babel" não é original pois já o escritor argentino Jorge Luís Borges escreveu um conto com esse mesmo título, com a diferença de que a biblioteca borgiana era excessivamente grande: tinha tudo o que já se escreveu e se pode algum dia vir a escrever, em qualquer língua do mundo, quando eu me contentaria com tudo o que já algum dia se escreveu, de forma organizada e para ser divulgado. É difícil conceber a mudança que poderia resultar, nas nossas vidas, do facto de termos acesso a esse repositório imenso de saber e de sonho, de conhecimento e de imaginação!"

Onde estava no 25 de Abril?

Para assinalar a data histórica, a Biblioteca Escolar expõe livros e filmes alusivos ao 25 de Abril de 1974 e ao período que o antecedeu. Associa-se, assim, ao evento dinamizado pela turma 8 do 11º ano, do Curso Profissional de Eventos, na sala polivalente. O vaso de cravos vermelhos é apenas uma das produções desta turma de Eventos, tão dinâmica.
A não perder é ainda a exposição de fotografias de professores no ano da Revolução dos Cravos. Uma iniciativa interessante e divertida.

Dia Mundial do Livro

Bibliofilia

No armazém onde apodreciam as batatas, com o cheiro
a terra e raticida dos velhos sacos de estopa, sentei-me
a ler romances de capa e espada nas tardes de calor. Ali,
uma obscuridade de pedra e madeira protegia-me da
luz; um longínquo ruído de cigarras misturava-se
ao voo monótono de sombrios besouros; e do papel
envelhecido dos livros saía o furor de uma paixão que
só nos romances existia. Ah!, em que alcovas secretas
se encontravam os heróis antigos? Que sedas e
cortinas davam acesso a corpos exaustos? Que
ácidas frases traíam decepções de amor? É que
o tempo era feito, então, de tardes sem fim, num
tédio solar, multiplicado pela brancura monótona
do horizonte, como se o próprio céu cobrisse a vida
com a sua mortalha luminosa. O romance
chegava ao fim demasiado depressa; os maus
morriam e os bons ganhavam com excessiva facilidade;
a última página não passava de um tímido abraço de
amantes, calando o que viria para além disso. Então, fechando
o livro, dava-se por que a tarde entrava no declínio;
já não se ouviam cigarras, e os besouros escondiam-se
nalguma trave do tecto. Sob os sacos, por entre fardos
de palha e peças de máquina, os fantasmas começavam
a acordar. Era o que esse tempo tinha para dar: nem
luz nem treva, nem morte nem vida. Os minutos de
hesitação entre o fim de um livro e o princípio da noite;
e o abrir da porta para o quintal, onde um vento quente
se metia por dentro da lenha já pronta para o forno do pão.
                                                                                            Nuno Júdice, Teoria Geral do Sentimento, 1999
 
Quem melhor que os poetas poderá celebrar o Dia Mundial do Livro?
(Por decisão da UNESCO, o Dia Mundial do Livro celebra-se a 23 de Abril, data comemorativa da morte de vultos literários como Shakespeare ou Cervantes).

Aparição: um percurso literário

A Biblioteca Escolar Fernão Mendes Pinto promove inesquecível passeio a ÉVORA E VILA VIÇOSA, com serviço de guia local, delícias gastronómicas e programa cultural destinado a docentes e estudantes da obra literária vergiliana.

O programa do dia 8 de Maio (sábado) inclui:

Entrada no Palácio de Vila Viçosa e respectiva visita guiada.
Visita guiada a Évora: percurso literário da obra Aparição, de Vergílio Ferreira. Guia profissional in loco.
Entrada na Sé Catedral e na Capela dos Ossos, em Évora.
Transporte em autocarro com ar condicionado.
Almoço em restaurante típico alentejano, segundo ementa.

Inscrições na sala de professores.

Difusão da Francofonia

No âmbito das actividades desenvolvidas durante a Semana da Francofonia (19-26 de Março), realizou-se, na nossa escola, o primeiro Concurso de Leitura em Língua Francesa.

Paralelamente, outras iniciativas procuraram divulgar a Francofonia junto da comunidade escolar e celebrar a riqueza e diversidade da língua francesa, nomeadamente: a projecção do filme de animação Persépolis (2007) de Marjane Satrapi e Vincent Paronnaud; a exposição temática na Sala Polivalente; o lançamento do concurso Dis-moi, dix mots dans tous les sens; a divulgação de obras francesas em versão original ou em tradução portuguesa.
Livros e filmes para ler, ver e apreciar na Biblioteca Escolar.

http://www.esfmp.pt/biblioteca/difus%C3%A3o-da-francofonia

Ratos de sucesso...

"Geronimo Stilton vive na Ilha dos Ratos, uma ilha em forma de fatia de queijo, situada no Oceano Rático Meridional. Natural de Ratázia (Ilha dos Ratos), é formado em Ratologia da Literatura Rática e em Filosofia Arqueorrática Comparada. Há vinte anos que dirige o jornal Diário dos Roedores. Nos tempos livres, Stilton colecciona cascas antigas de Parmesão do século XVIII, joga golfe e, acima de tudo, adora contar histórias ao seu sobrinho preferido, Benjamim."

http://www.wook.pt/authors/detail/id/34205

A Ratázia é outro sucesso da Biblioteca Escolar. Diversos são os títulos que fazem as delícias dos amantes de queijo, digo, de ratos, desculpem, de livros! Uma opção de leitura para o Ensino Básico. Vejamos alguns títulos:
http://www.esfmp.pt/biblioteca/ratos-de-sucesso

Era uma vez um povo de marinheiros e de heróis

“Era uma vez um povo de marinheiros e de heróis, o povo português, o nosso povo, que já lá vão muitos anos – mais de quatrocentos – quis descobrir o caminho marítimo para a Índia. A Índia aparecia então, aos olhos de todos os Europeus, como terra de esplendor e de riqueza, que todos os homens desejavam, mas onde era difícil, quase impossível chegar.”

“Vénus, a Deusa da Beleza e da Ternura, que sempre os estimara e protegera, queria premiá-los dos seus esforços e canseiras. E, por isso, conduziu as naus a uma ilha formosa e acolhedora, que se chamava Ilha dos Amores”.

“Tão atraente era a vista dessa ilha maravilhosa…”
“– Foi no palácio de Tétis o grande banquete.”

OS LUSÍADAS DE LUÍS DE CAMÕES contados às crianças e relembrados ao povo, adaptação em prosa de João de Barros, ilustrações de André Letria, Sá da Costa Editora/Expresso, col. Clássicos da Humanidade
lusiadas_joao_barros.jpg

Para além da adaptação em prosa de João de Barros, a grande epopeia portuguesa está disponível na Biblioteca Escolar (BE). Existem diversos exemplares de Os Lusíadas (edição escolar), adquiridos expressamente com verba atribuída pelo Plano Nacional de Leitura. Destinam-se a consulta e a empréstimo para a sala de aula.
Professores e alunos poderão fazer a requisição na BE antes da aula de Língua Portuguesa e devolver os exemplares no final.
joodebarrososlusadaslembradosaopovoecontadosscrianas.jpg

O Diário de um Banana e outros diários

O Diário de um Banana, editado em Portugal em 3 volumes, tem sido não só um sucesso de vendas como um sucesso de leitura na nossa biblioteca. As aventuras de Greg e da sua família (em especial o irmão Rodrick, que deu lugar ao 2º volume) nunca estão nas prateleiras, o que é bom sinal.
 
O Diário de um Banana 3, A última gota conta o dia-a-dia de um rapazinho com dificuldade em acordar de manhã para ir para a escola (para mais quando tem de ir a pé), a decepção com os presentes de Natal, a dificuldade em praticar Educação Física e como a consegue vencer...
A Biblioteca Escolar tem também disponível um título em inglês: Diary of a Wimpy Kid - Dog Days. http://challengingthebookworm.files.wordpress.com/2009/11/diary-of-a-wimpy-kid-dog-days.jpg
Outros diários de adolescentes, igualmente divertidos:
http://www.anossaescola.com/sardoal/imagens/biblioteca/diario%20secreto%20de%20adrian%20mole.jpg
http://portuguesonline.no.sapo.pt/getimage.jpg

Não é fácil ser adolescente

O Diário de um Banana 3 - A última gotaO Diário de um Banana 3 - O Rodrick é terrívelO Diário de um Banana