Conferência Nacional do Ensino Profissional

A ESFMP marcou presença na Conferência Nacional do Ensino Profissional que se realizou no dia 18 de dezembro, na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.
Com o objetivo dar a conhecer os resultados dos trabalhos que têm sido desenvolvidos por uma rede colaborativa constituída por uma rede de escolas públicas e privadas com ensino profissional, esta iniciativa promovida pela Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional (ANQEP), pela Associação Nacional de Escolas Profissionais (ANESPO) e pela Fórum Estudante, destacou  três dimensões essenciais no que respeita ao ensino profissional: a importância da valorização e promoção do ensino profissional; o aumento da qualidade e relevância das qualificações já disponíveis; e a transição da escola para o mercado de trabalho. 

No âmbito da primeira dimensão, a importância da valorização e promoção do ensino profissional reflete-se nos 44% dos alunos do ensino secundário a frequentar ofertas de dupla certificação e que neste momento conta com "cerca de 150.000 jovens em cursos de dupla certificação, com 300 qualificações disponíveis  e com 540 escolas a oferecerem estes cursos" . Mais foi referido que o  ensino profissional contribui para a redução da taxa de abandono escolar precoce "porque a escola passou a ser mais inclusiva, com vários e diferentes caminhos" e com um maior contributo para a empregabilidade jovem, com mais sucesso e maior vantagem competitiva quando comparado com um curso secundário científico-humanístico.
Uma segunda dimensão prende-se com o aumento da qualidade e relevância das qualificações já disponíveis, o que pressupõe uma atualização permanente que deverá ser feita entre as escolas e as empresas. Foi destacada ainda a importância da relação da escola com as empresas ao longo dos três anos de formação e do ajuste entre as competências de saída dos alunos e as necessidades das empresas.
Por fim,  a terceira dimensão a ser abordada, foi a transição da escola para o mercado de trabalho, numa altura em que "as transições são mais difíceis e tardias e os jovens o grupo mais afetado por estas dificuldades". 
Na sessão de encerramento foi salientada a importância desta rede colaborativa e do envolvimento de todos os professores na promoção do ensino profissional. 
Que assim seja!