(Re)começar

Há cerca de um mês que vivemos dias de mudança, seja a nível profissional, pessoal, escolar ou familiar. Esta nova rotina nem sempre é fácil de entender,
e como já devem ter reparado há muitas questões ainda por serem respondidas. Posso-vos garantir que estamos todos a trabalhar para que a informação vos chegue o mais clara e rápido possível.

Costuma-se dizer que o esforço é sempre recompensado; agora não é exceção. Certamente já falaram com os vossos professores sobre as avaliações. Como sabem, ou deveriam saber, as notas finais refletem todo o trabalho realizado, bem como o cumprimento de prazos, a assiduidade e a participação ativa nas aulas síncronas. Se olharmos para trás, neste aspeto não muda assim tanta coisa. Talvez um dos maiores desafios passa pela responsabilidade em ser mais autónomo e em organizar melhor o tempo. Entre trabalhos, é fundamental que também tirem momentos para ler, ouvir música, ver séries no Netflix ou vídeos no youtube; façam coisas que gostam, que vos façam felizes.
 
Até junho há um caminho que deve ser percorrido, da melhor forma possível. Chegar à meta também depende de vocês. Sabemos que há dias que são mais difíceis de conseguir gerir, que a motivação é pouca e o aborrecimento é muito. Estar em casa é bom, mas só quando é por vontade própria.
É natural sentirmo-nos assustados, porque não se fala de outra coisa, dizem-nos para estarmos informados, mas há tanta coisa a assimilar que às vezes isso prejudica mais do que ajuda.
 
Não estão sozinhos. Deixamos novamente a mensagem de que poderão entrar em contacto com o SPO. Assim como estávamos disponíveis na escola, também o estamos agora… só que em casa! Às vezes falar sobre o que estão a sentir pode-vos ajudar a ultrapassar esta fase com mais leveza.
 
As psicólogas,
Sílvia Relíquias
Leila Costa
spo@esfmp.pt